Diet e Light

0

Conforme o Ministério da Saúde, alimento diet é produzido de forma que sua composição atenda às necessidades de pessoas com exigências físicas, metabólicas, fisiológicas e doenças específicas. Nesses casos podem ser incluídos os indicados para as dietas com restrição de açúcar ou de sal, gorduras, colesterol e proteínas.

 

No caso do light é necessário que apresente uma redução na quantidade total de um de seus componentes. Há um referencial de, no mínimo, 25% a menos em calorias e na quantidade de um dos ingredientes (açúcares, gordura saturada, gorduras totais, colesterol e sódio) comparado com o produto tradicional ou similar de marcas diferentes para que um produto seja light.

 

O mercado não divulga as informações com a mesma velocidade que lança produtos, e os consumidores ficam cada vez mais perdidos na hora da escolha. É o que vem acontecendo com a nova designação “zero”, utilizado mais como estratégia de marketing do que como proposta de mudança. No caso dos refrigerantes “zero” o açúcar cedeu lugar aos adoçantes, como também acontece com as versões diet e com muitos dos light. Ao optar por um pudim com “zero” açúcar, esse produto é igual ao pudim diet sem adição de açúcar.

Diante de tais informações, qual seria a versão mais adequada: diet, light ou zero? Seria mais fácil se a versão light dos alimentos viesse com a informação clara de qual redução exatamente se trata se de açúcar ou gordura, já que, em cada caso, as conseqüências para quem consome são diferentes. É importante, para o consumidor fique atento aos rótulos no momento da compra e do consumo, para que eles atendam os objetivos da melhor maneira possível.

Freqüentemente ocorre o erro de se ingerir o dobro do habitual por ser um alimento diet ou light, mas, dificilmente, há a redução de 50% das calorias nesses alimentos.

 

DICAS:

 

Diet é um termo usado na maioria das vezes como sinônimo de retirada de algum nutriente, sem implicar, no entanto a redução das calorias do alimento.
A gelatina é um ingrediente natural e saudável, que está sendo muito utilizado pela indústria da alimentação, para substituir açúcar em alguns alimentos, como chocolates, salgadinhos e sorvetes. A adição da gelatina tem a vantagem de manter a textura e o sabor dos alimentos, além de, também, aumentar a quantidade de proteínas, o que ajuda na oferta de produtos com a necessidade do controle de carboidrato.

 

Os produtos diet fabricados no Brasil podem apresentar no rótulo as expressões: “sem”, “isento de”, “não contém”, entre outras.

image_pdfimage_print
Compartilhar

Sobre o autor

Deixar comentário