Câncer de mama

0

Câncer de mama é tumor maligno que acomete a mama em consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente, ocorrendo o crescimento anormal das células, tanto do ducto mamário quanto dos glóbulos mamários.
É o tipo de câncer que mais acomete as mulheres em todo o mundo, sendo 1,40 milhões de novos casos e 500 mil mortes pela doença ao ano, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.
A relação do câncer de mama é de um homem para100 mulheres, apresentando curva ascendente a partir dos 25 anos de idade e concentrando a maioria dos casos entre os 45 e 50 anos.
A incidência varia por área geográfica, sendo mais baixas em partes da China, Japão e Índia, taxas intermediárias na América do Sul, Caribe e Europa Oriental e as mais altas na Europa Ocidental. No Brasil, o Ministério da Saúde estima 52.680 casos novos em um ano, com um risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres.

Tipos de Ca de mama:
- Carcinoma ductal in situ é o mais comum câncer de mama não invasivo.
- Carcinoma ductal invasivo, também acomete os ductos da mama e se caracteriza por um tumor que pode invadir os tecidos que os circundam (65 a 85% dos cânceres de mama invasivos).
- Carcinoma lobular in situ tem sua origem nas células dos lobos mamários e não tem a capacidade de invasão dos tecidos adjacentes (2 a 6% dos casos de câncer de mama).
- Carcinoma lobular invasivo se desenvolve nos lobos mamários e é o segundo tipo mais comum de câncer de mama, pode invadir outros tecidos e crescer localmente ou se espalhar.
- Carcinoma inflamatório raramente apresenta receptores hormonais, é a forma mais agressiva de câncer de mama e também a mais rara. As chances dele se espalhar por outras partes do corpo e produzir metástases são grandes.
- Doença de Paget é um tipo de câncer de mama que acomete a aréola ou mamilos, podendo afetar os dois ao mesmo tempo (0,5 a 4,5% de todos os casos de carcinoma mamário).

Fatores de risco:
- Sexo feminino,
- Menarca antes dos 11 anos,
- Menopausa após 55 anos,
- Nuliparidade,
- Primeira gestação a termo após 30 anos,
- Mãe ou irmã com história de câncer de mama na pré-menopausa,
- Dieta rica em gordura animal,
- Dieta pobre em fibras,
- Obesidade,
- Radiações ionizantes.

Sinais e Sintomas:
- Dor e sensibilidade incomum.
- Enrugamento e endurecimento da mama.
- Nódulo também verificado na axila e na proximidade das costelas que podem crescer lenta ou rapidamente.
- Retrações na pele, abaulamentos, podendo ficar com o aspecto de casca de laranja;
- Secreção de liquido sanguinolento e mal cheiroso pelo mamilo,
- Em estágios mais avançados da doença, pode aparecer ulceração que não cicatriza na pele da mama ou ainda ficar inchada, quente e avermelhada.
- Em alguns casos a doença deixa as mamas assimétricas modificando o seu formato e ou tamanho.

O diagnóstico é realizado através do histórico da paciente, do exame físico e de exames complementares como: ultrassom, mamografia, ressonância magnética, rastreamento genético e biópsia.

SAIBA MAIS:
- O autoexame das mamas, apalpando os seios, ajuda no conhecimento do próprio corpo, entretanto, esse exame não substitui o exame clínico das mamas realizado por um profissional da saúde.
- Mulheres que amamentam os seus filhos, no mínimo por seis meses, têm 5% menos chances de desenvolver o câncer.
- O consumo de vegetais com frequência diminuem em até 45% as chances de desenvolver esse tipo de tumor.
- Alimentos como brócolis, mostarda, couve e hortaliças verdes são ricos em glucosinolatos, que são aminoácidos com um papel importante na sua prevenção e tratamento.
- Rotina muito agitada e estressante tem quase o dobro de chances de desenvolver câncer de mama, quando relacionada a outros fatores de risco.
- O consumo de apenas 14 gramas de álcool por dia aumentam as chances de câncer em 30%.

Procure seu médico.

image_pdfimage_print
Compartilhar

Sobre o autor

Deixar comentário