Câncer de Pele

0

Câncer de Pele

É o tipo de câncer mais comum, acomete as células mais superficiais da pele, sendo responsável por mais da metade dos diagnósticos de câncer em geral no mundo.
Há dois tipos básicos de câncer de pele, os não-melanoma, geralmente das células basais ou das escamosas e os melanomas que têm origem nas células produtoras da melanina, este é produzido pela multiplicação descontrolada dos melanócitos responsável pelo bronzeado podendo sofrer um processo de expansão através dos vasos linfáticos ou do sangue.
Mais comum em pessoas acima de 40 anos sendo relativamente raro em crianças e negros, sem distinção de sexo. Entre as causas mais comuns podemos citar ainda a exposição prolongada ao sol, pele clara, ter sofrido graves queimaduras de sol durante a vida, já ter sofrido de melanoma, pintas, histórico familiar, Xeroderma Pigmentoso e Imunossuprimidos.
Ocorrem mais de um milhão de novos casos por ano nos Estados Unidos e cerca de 120 mil novos casos no Brasil, cerca de 5% são melanomas os principais responsáveis por mortes por câncer de pele.

Sinais e Sintomas:

- Pode se manifestar de muitas maneiras diferentes, mas o sinal mais comum é uma mudança na pele, uma ferida que não cicatriza, uma pequena dureza suave e brilhante, cor avermelhada escura, ou uma região achatada de cor vermelha. Os sinais de um possível melanoma são mudanças na aparência de pintas (endurecimento, edema, mudanças da cor) com coceira, secreção ou sangramento. Os homens têm maior incidência de melanomas no tronco, na cabeça ou no pescoço, enquanto que as mulheres geralmente os apresentam nos braços e nas pernas.
- O diagnóstico é feito pelo histórico da mudança da pele, se ela aumentou de tamanho ou mudou de aparência, se alguém mais em sua família teve câncer de pele e sobre a sua exposição aos fatores de risco.
- O especialista deverá também observar tamanho, forma, cor, textura da lesão, se ela sangra ou descama. Ele vai checar se há outras manchas e pintas suspeitas e verificar se há aumento dos gânglios linfáticos do pescoço, axilas, virilha, que pode indicar que o melanoma se espalhou.
- A confirmação é feito através de biópsia, sempre feitas com anestesia e a opção vai depender do tamanho da lesão e de sua localização no corpo. Nos casos de suspeita de melanoma, os especialistas geralmente removem todo tumor durante a biópsia, método chamado biópsia excisional.

SAIBA MAIS:

- A pele é o maior órgão do corpo humano.
- Ensine as crianças a protegerem-se do sol desde cedo.
- 90% dos casos estão relacionados à exposição excessiva aos raios nocivos do sol (ultravioletas) e seus efeitos cumulativos.
- Esteja atento a qualquer mudança na sua pele.
- Protetor solar não confere proteção absoluta contra as queimaduras ou Ca de pele.
- Reduza seu tempo de exposição ao sol e evite exposição solar entre 10 e 15 h.
- Com protetor solar de pelo menos FPS – 15, a pessoa está protegida por 2 horas e meia.
- Aplique o protetor solar 30 minutos antes de se expor, é preciso tempo para que o filtro comece a agir.
- Reaplique o protetor solar quando você permanecer mais de 2 horas ao sol ou quando o filtro for retirado por contato com a água, suor etc. Existem também produtos à prova d água.
- Para quem trabalho ao sol cubra-se: use calças, camisas de manga comprida, chapéu de aba larga e óculos escuros de boa qualidade com proteção ultravioleta (UV).
- Mesmo nos dias nublados (mormaço), sob a água ou através do vidro nos carros com a janela fechada a radiação solar está presente.
- Proteja as orelhas, lábios, pescoço, dorso das mãos e dos pés e onde o cabelo está rarefeito.
- Procure um departamento especializado em oncogenética ou oncologia cutânea se:
- Você já teve melanoma
- Se mais de uma pessoa de um lado da sua família tive melanoma
- Você teve melanoma quando jovem
- Você tem um tipo de pinta chamada nevus displásico ou atípico
- As neoplasias cutâneas estão relacionadas a alguns fatores de risco, como o químico (arsênico), a radiação ionizante, processo irritativo crônico e outros.
- Descoberto em seus estágios iniciais, o melanoma é quase sempre curável.
- Uma pinta sem suspeita de malignidade é geralmente marrom ou preta, de coloração uniforme, chata ou levemente elevada em relação ao restante da pele.

Nem todas as mudanças na pele são produto de um câncer, mas sempre é conveniente consultar o médico dermatologista.

image_pdfimage_print
Compartilhar

Sobre o autor

Deixar comentário