EDUCANDO PARA SAÚDE:

0

HOLISMO
Vocês sabiam que os índices de saúde atuais são os mesmos da Idade Média?
Não temos mais a peste bubônica ou a peste negra, contudo continuamos a ser dizimados por doenças modernas tais como a AIDS , as doenças coronarianas, a hipertensão.
Quando aparentemente “saudáveis” estamos enfermos, vítimas de stress, sindrome do pânico, ansiedade, etc.
Até o Renascimento, século XV, vivíamos sob uma ótica teocêntrica e saúde e doença resultavam de benção ou punição divina.
Após a Idade Média, chamamos sobre nós a responsabilidade de nossas vidas e partimos numa empreitada pelo conhecimento, que culminou num extremo racionalismo, numa fragmentação absurda da realidade e num modelo biológico e social análogo a máquina.
De forma agressiva , intempestiva e competitiva negamo-nos como seres da Natureza, e subjugamos o planeta.
Esta ciência cartesiana, intervencionista, embora tenha desvendado a ultra-estrutura deste mundo, negou princípios sagrados da Natureza, de integração e progresso sustentável.
As ciências tecnológicas, sociais, médicas evoluiram per sí, sem qualificar o humano. Isto acabou gerando uma ciência vazia, uma medicina desumana, uma educação que não nos prepara ao ser e sim ao ter.
Hoje temos o domínio das mais diversas ciências, contudo não temos a capacidade de ser felizes, de gerar sociedades harmônicas e sustentáveis, o planeta claudica, os níveis de saúde também.
A família perdida nas referências desta justa medida começa a ver a necessidade de um “novo aprendizado”.

Você já observou, na sala de espera dos consultórios pediátricos, que as crianças que buscam atendimento médico, mais de oitenta por cento, estão na faixa etária de dois anos a seis anos?
Você já se perguntou porque não é toda criança ao ingressar na pré-escola que tem infecções e viroses repetidas, a dita experiência imunológica?
Você já observou, numa desadaptação social ou escolar, num processo de separação dos pais, como o sistema imunológico da criança reage com mais enfermidades?
Você já percebeu que nesta “receita de bolo” da ciência moderna de fazer seres saudáveis está faltando ingredientes?
Quais seriam?
Onde estamos negligenciando por desconhecer?

O conhecimento do macrocosmo, só se possibilita pelo conhecimento deste microcosmos que somos.
É no entendimento deste corpo, como emergência de um Sagrado, no cuidado dele em todos os seus aspectos, desde os mais densos do corpo físico até os mais sutís: nosso corpo psíquico, nosso corpo mental ,culminando com sua dimensão mais anímica.

Os gregos, no seu máximo expoente, Sócrates, nos deixaram:
”Homem conhece-te a ti mesmo”

Estaremos conversando nestes encontros, tentando trazer a luz um conhecimento mais holistico, dá até medo de usar este termo, de tão profanado e vulgarizado que atualmente tem sido.
Estaremos analisando as relações entre os homens e o reino vegetal, mineral, animal.
Há de se instaurar uma nova cortesia no planeta com os diferentes reinos.
Há de se ensinar a esta criança e família que somos o que comemos, como comemos, aonde comemos e com quem comemos.
Falaremos em medicina funcional, ortomolecular e no equilíbrio possível através de minerais.
Poderemos estabelecer uma comunicação para dúvidas e sugestões.
Que tal começarmos por stress, isto mesmo crianças também o tem, já que está tão em moda?

Dra Sonia Stefanato Alvarez
Infância –Adolescência –Medicina holística
Diretora Presidente do Instituto Viver
Rua do Centenário 250 e o telefone é 4427-5039.

image_pdfimage_print
Compartilhar

Sobre o autor

Deixar comentário