Intoxicação Alimentar

0

Intoxicação Alimentar

Também conhecida como Intoxicação Gastrointestinal, tem como causa a ingestão de alimentos ou bebidas contaminadas por bactérias, fungos, vírus e outros microrganismos que afetam o sistema digestivo.
A do tipo bacteriana que é a principal causa de contaminação ocorre principalmente pela Salmonela e Estafilococos áurea, devido à facilidade de se multiplicarem no interior do intestino. Outros contaminantes são: Shiguella, Campylobacter jejuni, E. coli, Clostridium, Yersínia, parasitas, toxinas entre outros.
Essa contaminação pode ocorrer durante o preparo, conservação ou armazenamento dos alimentos, sendo mais comum entre idosos e crianças.
Nos Estados Unidos essa doença resulta em mais de 300.000 hospitalizações por ano, causando cerca de 5.000 mortes.

Fatores de risco para a Intoxicação Alimentar:
- Alimentos contaminados ou estragados.
- Agua contaminada.
- Utilização de carne, ovos e leite, que foram contaminados ao entrar em contato com as fezes de animais infectados.
- Toxina que a bactéria encontrada na pele produz e contamina os alimentos no momento de seu preparo ou manuseio.
- Falta de higiene no preparo da comida.

Sinais e Sintomas da Intoxicação Alimentar:
- Cólicas abdominais.
- Enjoos.
- Vômito.
- Diarreia.
- Febre.
- Dor de cabeça.
- Mal-estar.
- Desidratação.
- Perda de peso.
- Hipotensão arterial.

O diagnóstico geralmente é clínico, o histórico e os sintomas devem ser levados em consideração, principalmente se indivíduos próximos apresentaram o mesmo quadro.
Exames de laboratório como hemograma, glicemia, eletrólitos e protoparasitológico podem auxiliar a investigação e tratamento.

SAIBA MAIS SOBRE A INTOXICAÇÃO ALIMENTAR :
- A intoxicação alimentar, embora comum, pode ser prevenida facilmente.
- 85 % das comidas estragadas podem ser evitadas seguindo-se as normas de higiene.
- Os idosos perdem o sistema imunológico e não respondem rapidamente aos organismos infecciosos.
- Crianças também são vulneráveis já que ainda não têm o sistema imunológico totalmente desenvolvido.
- Lave bem as mãos antes das refeições, ou antes, de lidar com alimentos.
- Embale adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira.
- Lave os utensílios de cozinha após ter lidado com alimentos crus.
- Evite comer carne crua e mal passada qualquer que seja sua procedência.
- Especialmente a carne e os miúdos de frango, assim como os ovos devem ser bem cozidos porque são os transmissores mais comuns da Salmonella.
- Não se esqueça de que ovos crus são ingredientes de pratos como a maionese e doces.
- Utilize leite fervido ou pasteurizado.
- Mergulhe verduras e hortaliças que serão ingeridas cruas numa solução de água com hipoclorito de sódio ou preparada com uma colher de água sanitária para cada litro de água.
- Não aproveite alimentos em conserva cujas embalagens estejam estufadas ou amassadas.
- Faça uso de chás; suco natural; água de coco e água durante o tratamento.
- Geralmente o quadro melhora dentro de um ou dois dias.
- Às vezes a intoxicação alimentar pode ser muito perigosa.

Procure seu médico.

image_pdfimage_print
Compartilhar

Sobre o autor

Deixar comentário