Poliomielite

0

Conhecida como paralisia infantil quando acomete crianças, é uma infecção viral causada pelo poliovírus. A doença pode ser moderada ou severa, sendo que nos casos mais graves pode levar à paralisia e morte.

Indivíduos de todas as idades podem contrair a Poliomielite, embora crianças pequenas seja o alvo mais freqüentemente.

Geralmente não se espalha facilmente em comunidades com altas taxas de vacinação e quando o poliovírus se espalha acontece dentro do lar. O vírus pode se propagar através de contato com objetos, vasos sanitários ou mãos, mas em pessoas não vacinadas também é possível que o vírus da poliomielite se espalhe através de secreções respiratórias.

Em cerca de 4% dos casos a poliomielite causa meningite, uma infecção nos revestimentos do cérebro. Em menos de 1% há paralisia em um ou ambos os braços e pernas, e mais raramente, nos músculos respiratórios.

Há três tipos de poliovírus, só que a infecção causadapor um desses tipos ocasiona imunidade para toda a vida para esse tipo específico, mas não necessariamente para os outros tipos.

Sómente humanos podem contrair essa doença, pacientes são mais infecciosos de 10 dias antes há 10 dias depois do aparecimento dos sintomas, porém, estes podem espalhar a Poliomielite pelo tempo que o vírus estiver na sua saliva e intestino. Este pode ser encontrado na saliva de pacientes por aproximadamente uma semana depois do aparecimento dos sintomas e no intestino por 3 a 6 semanas.

Sinais e Sintomas:

Na maioria dos casos as pessoas infectadas com o poliovírus não se sentem doentes. Algumas vezes o vírus pode causar sintomas parecidos com os da gripe:

ü  Febre;

ü  Mal-estar;

ü  Sonolencia;

ü  Dor de cabeça;

ü  Dor muscular;

ü  Nausea e vômitos;

ü  Diarréia ou constipação;

ü  Dor de garganta.

Os sintomas da poliomielite geralmente aparecem de seis a 14 dias depois da infecção pelo vírus, mas há casos em que demoraram só três dias ou mais de 35 dias.

Saiba mais:

Doença altamente contagiosa que afeta principalmente crianças com menos de cinco anos.

Uma paralisia irreversível (em geral nas pernas) acontece em um caso a cada 200.

Entre 5% e 10% dos doentes com paralisia morrem, quando o aparelho respiratório para de funcionar.

A única forma eficiente de controlar a poliomielite é manter a maior taxa possível de vacinação na comunidade.

Vacina para poliomielite:

Existem dois tipos de vacina contra poliomielite: a oral com vírus vivo e a injetável com vírus inativo. A vacina oral para poliomielite é dada em gotas na boca. A vacina injetável é dada na perna ou braço. A programação de vacinação recomendada para crianças é de um total de quatro doses dadas com dois e 4 meses de idade, entre 6 e 18 meses de idade, e com 4 anos.

Não há remédios específicos que sejam eficientes contra o poliovírus.

Pessoas que contraem poliomielite precisam de atenção médica para avaliar as complicações potenciais da doença e para reabilitação.

No Brasil, desde 1989, nenhum caso de pólio paralítica foi detectado, nem a presença do vírus em portadores assintomáticos, ou ainda no meio ambiente.

O número de casos de pólio no mundo caiu mais de 99% desde 1988, passando de 350 mil a 406 casos notificados em 2013. Esta diminuição deve-se ao esforço global para erradicar a doença, segundo a OMS.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou nesta segunda-feira (05/05) estado de emergência de saúde pública para a poliomielite diante do aumento dos casos da doença nos últimos seis meses e após detectar a enfermidade em mais de 10 países.

“Se não for controlada, a situação poderá colocar em risco a erradicação global da uma das mais graves doenças que pode ser evitada através da vacinação”, ressalta o comunicado.

image_pdfimage_print
Compartilhar

Sobre o autor

Deixar comentário