Impotência sexual

0

A impotência quase sempre tem cura e para curá-la o homem tem a disposição vários recursos, de a psicoterapia a injeções e próteses sofisticadas. A impotência dá medo, mas a recíproca também é verdadeira: medo causa impotência.

Cerca de 10% dos homens entre 40 a 70 anos têm alguma forma de disfunção que os incapacita de obter ou manter ereções suficientemente rígidas. Alguns urologistas acreditam que, de um modo geral, as causas da impotência são 70% dos casos por problemas psicológicos e 30% por problemas orgânicos. Por volta de 54% dos brasileiros, pelo menos 25 milhões de homens, sofrem com algum problema de ereção. É a doença mais comum do sexo masculino e a menos tratada do mundo. Apenas 30% procuram ajuda médica.

FATORES ORGÂNICOS:

Doenças vasculares, que causam entupimento das artérias e veias, prejudicando a chegada do sangue ao pênis;

As patologias que comprometem o sistema nervoso, como diabetes;

A falta do hormônio masculino testosterona, que começa a declinar a partir dos 45 anos, mas é essencial para o funcionamento do mecanismo de ereção;

Distúrbios como o priapismo, que provoca a coagulação do sangue dentro do corpo cavernoso, levando à impotência irreversível;

A impotência orgânica pode ainda ser decorrente de rompimento da estrutura, uma espécie de fratura do pênis, devido a acidentes;

Insuficiência veno-oclusiva, existente quando o corpo cavernoso se enche de sangue, mas não distende o bastante para comprimir as veias contra a parede do pênis. Com isso, o sangue não é represado o suficiente para garantira ereção;

Assimetrias do corpo cavernoso, decorrentes de má formação congênita;

O fumo, o álcool e alguns medicamentos também são apontados como prováveis causadores da função erétil.

Depois de excluídas as causa orgânicas, o que leva o homem a não conseguir a ereção, principalmente os jovens, é a ansiedade, misturada à insegurança e ao medo de não “cumprir direito o seu papel”. O homem é educado para ser “macho” e sua auto-estima está diretamente ligada a sua capacidade sexual. Por isso, quando o homem falha na cama, ele se sente um fracassado. Neste caso o próprio medo do fracasso faz descarregar na corrente sanguínea grande volume de adrenalina, hormônio que ativa certos neurotransmissores, mas inibe outros, entre os quais aqueles responsáveis pelo mecanismo da ereção.

A impotência causada por problemas psicológicos, especialmente na faixa etária entre os 35 e 40 anos, também podem ser resultados em crises existenciais. Essa é uma fase de reavaliação da vida, da profissão e do casamento. Se ele tem problemas, corre o risco de se tornar depressivo e a depressão leva o homem a comer demais, beber demais e utilizar drogas ou tranquilizantes.

Um dos exames realizados para estes diagnósticos é eletroneuromiografia, ou teste de intumescência peniana noturna, realizada com auxílio de um equipamento denominado Rigiscan, em laboratório de sono. Outro recurso usado para o diagnóstico é o Duplex scan ou ecodoplerpeniano, usado para medir o fluxo arterial e identificar eventuais obstruções no pênis.

Um método menos popular são as injeções de substâncias que aumentam o fluxo sanguíneo das artérias, diminuem o calibre das veias e relaxam a musculatura local, produzindo a ereção. O exame é feito no consultório e o remédio faz efeito em 10 a 20 minutos, quem tem problemas psicológicos responde positivamente.

DICAS:

Evite drogas como: maconha álcool, heroína, cocaína, barbitúricos, antidepressivos.

Evite o estresse.

Problemas orgânicos como: arteriosclerose, trauma, fuga, neuropatia diabética, esclerose múltipla, trauma medular, prostatectomia radical, hipoandrogenismo primário ou secundário, procure um médico.

Problemas psicológicos como: ansiedade, depressão, culpa, procure um médico psiquiatra e ou um psicólogo.

SAIBA MAIS:

Hormônios só podem ser usado para homens com deficiência comprovada na produção de testosterona. Deve-se tomar cuidado, pois este hormônio mal empregado pode aumentar a probabilidade de incidência de câncer de próstata.

As próteses consistem em hastes implantadas dentro do corpo cavernoso, com anestesia local, em um pequeno corte na base do pênis. O paciente volta para casa no mesmo dia, e em um mês, retorna suas atividades sexuais.

A medicação oral a base do sal Citrato de Sildenafil está revolucionando o tratamento da impotência masculina.

Pacientes que fazem uso de drogas vasodilatadoras para angina de peito estão proibidos formalmente de usar o Sildenafil, em qualquer dosagem, por haver sério risco de vida.

image_pdfimage_print
Compartilhar

Sobre o autor

Deixar comentário